terça-feira, 22 de julho de 2014

Novo Focus sofre reajuste e parte de R$ 63.590; versão de topo sai por R$ 91.590

Focus-x-C4-x-Sentra-x-Civic-81-620x413
Na sequência de reajustes aplicados nas últimas semanas pelas principais montadoras (apesar da estagnação do segmento) a Ford não ficou de fora. Depois do New Fiesta, agora é a vez do novo Focus ficar com o preço mais salgado. A versão de entrada S 1.6, que antes custava R$ 61.590, passou a R$ 63.590.
Produzido na Argentina, o Focus teve o preço de todas as versões reajustadas. Desta vez o aumento foi considerável e supera os R$ 3 mil nos acabamentos mais caros. Destaque para o fato de que a partir da versão SE 2.0 o valor cobrado é o mesmo para o hatchback ou sedã. Na versão de topo Titanium Plus 2.0 Powershift, o preço chega a R$ 91.590.
novo-focus-23
Veja a nova tabela de preços:
Focus S 1.6 R$ 63.590
Focus S 1.6 PowerShift R$ 68.590
Focus SE 1.6 R$ 66.590
Focus SE 1.6 PowerShift R$ 71.590
Focus SE 2.0 PowerShift R$ 77.590
Focus Titanium 2.0 PowerShift R$ 83.590
Focus Titanium Plus 2.0 PowerShift R$ 91.590
Focus Sedan S 2.0 PowerShift R$ 71.590
Focus Sedan SE 2.0 PowerShift R$ 77.590
Focus Sedan Titanium 2.0 PowerShift R$ 83.590
Focus Sedan Titanium Plus 2.0 PowerShift R$ 91.590

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Range Rover Vogue e Sport chegam à linha 2015 mais fortes e equipados

Range rover-2015-3
A Land Rover apresenta nesta semana a linha 2015 dos luxuosos Range Rover Vogue e Sport com importantes novidades. Já disponível para reservas nos principais mercados da Europa, a nova gama traz uma série de atualizações que incluem mudanças estéticas (entre elas, novas opções de personalização), aperfeiçoamentos na mecânica e adoção de novos equipamentos. A marca, por enquanto, não confirmou se haverá aumento de preços.
Range rover-2015-2
Visualmente, tanto o Vogue quanto o Sport passam a contar com rodas de liga leve de 19 polegadas com desenho inédito. Nas versões com entre-eixo alongado (caso do Vogue) há, pela primeira vez, opção de rodas de 22 polegadas. No quesito equipamentos, as lâmpadas que projetam a imagem do modelo no chão foram revistas, o teto panorâmico ganhou persianas automáticas e passa a ser adotado o sistema InControl (que oferece um novo portal para navegação na internet, rádio e mídias em geral, além de integração total com smartphones).
Range rover-2015-
Na mecânica a principal novidade foi aplicada no motor SDV8 4.4, que ganhou 4,1 kgfm de torque e passa a gerar agora 75,4 kgfm de força – a potência, porém, continua sendo de 340 cavalos. Além disso, o câmbio ZF de oito marchas foi revisto e sofreu alterações no conversor de torque.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

No Brasil em 2015, nova Nissan Frontier custa a partir de R$ 40 mil na Tailândia

nissan_Frontier_Navara
Renovada por completo depois de aproximadamente oito anos no mercado, a picape Frontier, da Nissan, já começou a ser vendida na Tailândia. Conhecido por ser o principal centro de desenvolvimento de caminhonetes de porte médio (Triton, Hilux, S10 e Ranger foram em grande parte projetadas por lá), o país iniciou a produção do modelo há algumas semanas e já o tem disponível para reservas. Os preços começam em 575 mil baht (R$ 39.500) para as versões de cabine estendida e chegam a 656 mil baht (R$ 44.800) nas configurações de cabine dupla.
2015-nissan-frontier-4_1035
Os primeiros exemplares, explica a Nissan, serão entregues a partir de agosto. Sob o capô, duas são as opções de motorização disponíveis. A de entrada é um 2.5 16V turbodiesel com potência de 170 cavalos e torque de 41,1 kgfm. O propulsor das versões mais caras é o mesmo 2.5, porém com potência ajustada para 190 cavalos e torque na casa dos 45,9 kgfm. O câmbio pode ser o manual de seis marchas ou automático de sete. Em média, de acordo com a Nissan, a picape está 11% mais econômica.
2015-nissan-frontier-44_1035

No Brasil

A geração vendida no Brasil, já perdendo fôlego diante das concorrentes renovadas, não deve demorar para ser aposentada. A expectativa é que o modelo atual deixe de ser  produzido na fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, entre o fim de 2015 e o primeiro semestre de 2016, abrindo espaço para o novo. A aparição da novidade em outubro durante o Salão do Automóvel de São Paulo é bastante cogitada.

Novo Opel Corsa 2015 chega com motor 1.0 turbo de injeção direta

opel-corsa-2015-07
Aproveitando o clima de festa na Alemanha, a Opel revelou o novo Corsa 2015. Com visual completamente reformulado e novo interior, o compacto alemão também ganha motor 1.0 de três cilindros turbo.
opel-corsa-2015-02
O visual do novo Opel Corsa 2015 segue a nova identidade lançada pelo compacto Adam, em especial na composição da dianteira com a grade em posição mais baixa. O novo desenho do capô inclui um vinco rebaixado que se junta ao para-choque. Os faróis, com desenho irregular, tem à disposição as luzes de xênon e comutação automática do facho.
opel-corsa-2015-03
A traseira tem certa inspiração do irmão maior, o Astra, principalmente no desenho das lanternas. Mantendo a tradição, há diferenças no desenho entre as carrocerias de duas portas, de aspecto mais esportivo, e a de quatro portas.
opel-corsa-2015-06
Por dentro, o painel é novo e ganha recheio tecnológico com sistema de info-entretenimento que tem tela de sete polegadas, comandos por voz e ampla conectividade. Para os dias frios, o modelo traz aquecimento para os bancos e volante. Também há assistente de estacionamento, sistema que monitora a pressão dos pneus, câmera traseira, alertas de ponto de cego nos retrovisores, sistema que alerta mudança involuntária da faixa e direção com assistência elétrica com dois modos de condução.
opel-corsa-2015-19
Outro grande destaque do Opel Corsa está debaixo do capô. O modelo estreia o novo 1.0 ECOTEC Direct Injection Turbo, que segundo a marca alemã, é totalmente novo. Construído em alumínio, o novo propulsor de três cilindros tem um exclusivo eixo de equilíbrio, o que resulta em baixo ruído, vibração e aspereza. Já atendendo as normas de emissões Euro 6, será oferecido com potências 90 cv ou 115 cv, mas com o mesmo torque 17,3 kgfm entregues em sua totalidade a partir de 1.800 rpm. Também há um 1.4 turbo que gera 100 cv e interessantes 20,4 kgfm de torque, além de opções aspiradas de 1.2 e 1.4 litro a gasolina e 1.3 turbodiesel.
opel-corsa-2015-13
Em relação às transmissões, além do câmbio manual de cinco marchas (e seis para os 1.0 ECOTEC Turbo), a Opel oferece sua mais nova geração da transmissão automática de seis velocidades, bem como a completamente nova transmissão automatizada Easytronic, que segundo a montadora oferece capacidade de resposta mais suave.
E o que interessa para o mercado brasileiro? Nem adianta sonharmos com carros da Opel por aqui, mas podemo ficar antenados no conjunto mecânico oferecido por lá. Como tendência mundial de downsizing, e até pelo recente anúncio de investimentos para produções de novos motores na Argentina, o novo Corsa nos indica qual pode ser o futuro da Chevrolet por aqui. Motores modernos, compactos, três cilindros com turbo e injeção direta a GM já possui. Basta iniciar a atualização por aqui. E isso agora é apenas questão de tempo.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Audi desafia Mercedes com carros de luxo a baixo custo

Por Revista Exame:
Michigan - A Audi está se aproximando da Mercedes-Benz, marca da Daimler AG, no pequeno, porém crucial, mercado de carros de alto padrão com preços a partir de US$ 30.000.
Nos seus três primeiros meses no mercado, o Audi A3 superou em vendas o equivalente cupê de entrada da Mercedes a uma razão de quase dois para um, segundo a empresa de pesquisas Autodata Corp.
As vendas do CLA caíram em sete dos últimos oito meses, uma virada em relação ao ano passado, quando o quatro portas esportivo ajudou a Mercedes-Benz a passar a BMW e tornar-se o mais vendido nos EUA e o novo modelo de maior sucesso da Mercedes em duas décadas.
“CLA foi o único de seu tipo à disposição por um tempo e agora há algo com que compará-lo”, disse Michelle Krebs, analista do AutoTrader.com, em entrevista. “Se você ler alguns dos testes comparativos, você vai ver que o A3 acaba vencendo por uma grande margem”.
Embora os modelos de entrada representem apenas uma fração das vendas globais de marcas de luxo de alto padrão, o mercado é importante.
As fabricantes de carros usam veículos com preços menores para mirar os jovens, motoristas em ascensão econômica e social que podem se tornar fiéis à marca pela vida inteira, eventualmente investindo somas de seis dígitos por um sedã top de linha de margens mais altas para a fabricante.
“A ideia é atraí-los quando sua preferência de marca está sendo formada”, disse Jesse Toprak, analista do Cars.com. “E então, esperançosamente, mantê-los enquanto eles ganham mais dinheiro e sobem de categoria”.
Buscar motoristas mais jovens à procura de carros mais baratos é arriscado. O mercado está lotado e as fabricantes correm o risco de diminuir uma marca de alto padrão ao encorajar comparações com modelos populares.
Um comprador disposto a gastar US$ 30.000 em um carro pode agora adicionar um Mercedes e um Audi a uma lista de compras que inclui o Ford Fusion, o Chevrolet Malibu e o Honda Accord.
Outro desafio é criar distinções mensuráveis entre o número crescente de segmentos de mercado, disse Kevin Tynan, analista da Bloomberg Industries, em uma entrevista. Um carro de entrada com todos os recursos pode ser pouco diferente de um carro em um degrau acima de categoria, o que gera um risco de canibalização.
Linha tênue
Optar por uma categoria mais baixa “exige que as empresas preencham com derivados menores e menos caros dos que costumavam ser os modelos de entrada”, disse Tynan. “O problema é que elas precisam criar uma distância suficiente entre o velho e o novo e a linha entre o menos caro e o barato não é muito distante”.
A Audi tomou um caminho diferente da Mercedes para o mercado de entrada, equipando seu modelo A3 com teto solar e bancos de couro. O CLA vem padronizado com um teto sólido e assentos de couro falso.
O A3 ganhou elogios e foi comparado favoravelmente com o CLA. A revista Car and Driver chamou o A3 de um “sedã esportivo esplêndido” que por acaso é “pequeno e acessível” e disse que “a Mercedes-Benz pode ter saído na frente da Audi com um sedã compacto, mas a Audi pode ter dado o nocaute”.
A Consumer Reports elogiou o visual do CLA, mas disse que a viagem foi dura, difícil, barulhenta e que ficou “aquém de um Mercedes típico”.
Esse é o tipo de crítica que as fabricantes de carros de luxo esperavam evitar quando lançaram alguns dos modelos mais acessíveis de suas histórias.
Pessoas da geração Y que responderam a uma pesquisa do site Autotrader.com listaram a Audi como a marca que “reflete mais sua personalidade”, seguida de Honda, Mercedes, Toyota e BMW, disse Krebs.
“O que está claro quando falamos da geração Y é que eles são favoráveis às marcas de luxo, e sempre mencionam a Audi como a marca à qual eles aspiram”, disse ela.

Por: Aceleramaxima
Aqui em Natal não e diferente a Audi lidera as vendas no segmento de luxo passando a nova concessionária Mercedes-Benz que recém abriu em Natal os veículos da Audi se destacam por seus preços mais em conta, mas também por seu acabamento excelente, motorização forte e por ser uma marca confiável,  a Audi também vence por acessórios que faltam em uma Mercedes como a CLA como bancos com ajustes elétricos dianteiros e sistema star-stop.